genealogieonline

Genealogy cfmeira » Lopo de Albuquerque (1440-1493)

Persoonlijke gegevens Lopo de Albuquerque 


Voorouders (en nakomelingen) van Lopo de Albuquerque


Gezin van Lopo de Albuquerque

Waarschuwing Let op: Partner (Joana de Bulhão) is 46 jaar jonger.

(1) Hij heeft/had een relatie met Fellipa de Mello Sampaio.


Kind(eren):

  1. Cristóvão de Albuquerque de Melo  1565-1623 
  2. João de Albuquerque de Melo  
  3. João de Albuquerque  
  4. Afonso de Albuquerque de Melo  
  5. Duarte de Albuquerque  
  6. Cosma de Albuquerque  
  7. Filipa de Melo e Albuquerque  
  8. Maria de Albuquerque  
  9. Jorge (II) de Albuquerque  
  10. Luísa de Albuquerque  
  11. Duarte de Albuquerque de Mello  
  12. Cosma de Albuquerque de Mello  
  13. Felippa de Mello  
  14. Maria de Albuquerque de Mello  
  15. Isabel de Albuquerque   


(2) Hij heeft/had een relatie met Joana de Bulhão.


Kind(eren):

  1. Jerônimo de Albuquerque  1510-1584 
  2. Brites de Albuquerque  1517-1584 
  3. Catharina de Albuquerque  1544-1614 
  4. André de Albuquerque  
  5. Luiz Inácio de Albuquerque Maranhão  
  6. Joanna de Albuquerque  
  7. Manoel de Albuquerque  
  8. Isabel de Albuquerque   


Notities over Lopo de Albuquerque

Veio a Pernambuco, em companhia de Duarte Coelho Pereira , que trouxe a sua mulher, Brites de Albuquerque, a seu cunhado Jeronymo de Albuquerque e a muitas outras pessoas nobres que, convidados das conveniencias que lhe prometeo, o quiseram acompanhar nesta nova conquista e povoação, do que procedeo ser a de Pernambuco a mais famigerada e distincta entre todas as do Brasil.
Era chamado, o Torto, por haver perdido um olho na Conquista de Pernambuco.
Affirma a constante tradição que em um dos primeiros choque, que tiveram os nossos novos conquistadores com os índios, perdera um olho de uma frexada e que ficara prisioneiro, chegando a termos de perder a vida, porque o gentio costumava matar e comer com grandes festas seus prisioneiros; mas teve a fortuna de que se affeiçoasse delle uma filha que o régulo ou prinicipal da terra amava muito, a qual representou ao pai, que se intitulava Arco-verde, que se matassem aquelle caraíba (que no seu idioma quer dizer branco) morrria infallivelmente, porque o amava e o queria para marido.
Movido o pai pelo amor da filha, concedeu a Jeronymo de Albuquerque com a vida e a liberdade, fazendo pazes com os conquistadores e começando felizmente a povoação da capitania de Pernambuco.
Baptizou-se logo esta filha do régulo Arco-verde com o nome de Maria do Espírito Santo, cujo appellido lhe foi posto por Jeronymo de Albuquerque para memória do alegre dia de Pentecostes em que a sua libertadora recebeu a graça baptismal.
Viveram sempre com amor tão recíproco que para casados só lhe faltaram as cerimonias ecclesiasticas. Desta união, nasceram oito filhos aos quaes amou como a filhos de uma mãe a quem deveu a vida e os estimou como a filhos de uma princesa de sua terra e que lhe facilitara a felicidade da conquista. Porém não foi bastante essa união para que Jeronymo de Albuquerque deixasse de ter mais cinco filhos, havidos em outras mulheres, assim brancas como índias, a todos os quais que fizeram o numero de trese perfilhou antes de casar com D. Felippa de Mello.
A Sra. Rainha, D. Catharina, que pela menoridade de seu neto, o Sr. Rei D. Sebastião, governava o Reino, era presente a vida licensiosa que fazia Jeronymo de Albuquerque, e por algumas vezes lhe mandou extranhar o mau exemplo que dava em uma nova conquista; e na ocasião em que D. Christovão de Mello se viu obrigado a embarcar para Pernambuco com sua familia, mandou insinuar ao dito Jernoymo que seria muito de seu real agrado que casasse com uma das filhas que trazia D. Christovão de Mello. A cuja insinuação obedeceu promptamente Jeronymo de Albuquerque, casando com D. Felippa de Mello, primeira filha do dito D. Christovão de Mello, e não obstante, ser já velho teve della onze filhos.
Jeronymo de Albuquerque, que em Pernambuco é o duro tronco da família de seu appellido, derivado de 31 filhos que teve, a saber: 22 legítimos de sua mulher Felippa de Mello, filha de Christovão de Mello; da sobredita D. Maria do Espírito Santo Arcoverde, filha do régulo ou principal da terra, e os mais de diversas outras mulheres.
Viveo em Pernambuco quase cincoenta annos e por tantos o governou, vindo a fallecer em Olinda, no mes de dezembro de 1584, como se colhe de seu testamento, que se conserva no Archivo do Mosteiro de S. Bento de Olinda, gaveta V, maço D, no. 14.
************
************************
Tenho em meu poder a prova de legitimação que no anno de 1561 concedeu o Rei D. Sebastião aos filhos naturaes de Jeronymo de Albuquerque; está ella de tal sorte que se não pode ler os seus nomes e muito apenas se percebe alguma cousa.
É certo que os perfilhados foram só 13 e que destes, só 8 foram havidos em D. Maria do Espírito Santo Arcoverde.
Destes e da sua descendência trataremos nesta segunda parte, onde veemos que com razão distinguio sempre Jeronymo de Albuquerque a estes filhos, entre os mais que teve, porque o lustre do sangue de uma princesa da sua terra não era para deixar de lembrar nos que tiveram a ventura de o conseguir.

***********************
Jeronymo de Albuquerque diz no seu testamento - Vol. II, pg. 400
..."Declaro que uma mamaluca ou índia por nome Felippa, filha de uma minha escrava por nome Maria, a qual mamaluca, eu mal informado alguma hora cuidei ser minha filha e como tal lhe fiz cousas de filha e lhe houve ligitimação de El-Rei, N. Senhor, contudo, depois de informado da verdade soube certo não era e assim o declaro em minha consciencia. E dado que fora o que não é, eu deserdo totalmente por desordem suas notorias.
Quanto a uma Jeronyma, mamaluca, que se creou em minha casa e foi tida por minha filha, da qual Deus sabe a verdade, em caso que o seja, eu a desherdo totalmente por desordens suas notórias"....

Vol. II, pg. 404:

..."Roguei a Belchior da Rosa, morador desta villa, que este fizesse e comigo assignasse e elle o fez a meu rogo em Olinda, aos 13 de novembro do anno do Nascimento de Nosso Senhor Jesus Christo de 1584.
Jeronymo de Albuquerque - Belchior da Rosa. "....
***********************

Titulo: De Jeronymo d'Albuquerque Maranhão e da sua sucessão - Vol. I, pg. 9
Titulo dos Mouras: Vol.I, pg. 70
Titulo: Dos filhos varões de Arnao de Hollanda e de sua mulher, Brites Mendes de Vasconcellos:
Vol. I: Cap. II, pg. 324, 325
Titulo: Mouras - Vol. I, pg. 427
Titulo: Memorias da familia de Moura - Vol. I, pg. 447
Notas - Vol. I, pg. 484, 487, 489
Titulo: Cópia de uma certidão autêntica da Casa do Tombo, e diligências do Cap.-mor
Affonso de Albuquerque Maranhão - Vol. II, pg. 22, 24, 25, 38, 42, 52, 57
Título: Descendência de D. Joanna Fragoso de Albuquerque - Vol. II, pg. 120
Titulo: Cavalcantes de Albuquerque na Bahia - Vol. II, pg. 153
Titulo: Cavalcantes na Bahia por outro ramo de Pernambuco - Vol. II, pg. 156
Titulo: Notas à árvore de costados de D. Catharina de Albuquerque, 1a. mulher de Christovão de Hollanda de Vasconcellos - Vol. II, pg. 195, 204, 206
Titulo: Notas à árvore de costados de D. Simoa de Albuquerque, 2a. mulher de João Cavalcante de Albuquerque, o Bom - Vol. II, pg. 209, 210
Titulo: Notas à árvore de costados de D. Paula Cavalcante da Silveira, mulher de Christovão de Hollanda Cavalcante -
Vol. II, pg. 224, 226
Titulo: Hollandas - Vol. II, pg. 280
Titulo: Fragosos - Vol. II, pg. 288, 297, 299
Titulo: Noticias da familia dos Fragosos de Pernambuco - Vol. II, pg. 294, 295
Titulo: Albuquerques Cavalcantes de Pernambuco - Vol. II, pg. 307
Titulo: Memoria da familia dos Pessoas - De Fernão Martins Pessoa - Vol. II, pg. 325
Titulo: Notas à arvore de costado de D. Felippa de Mello - Vol. II, pg. 327, 331
Titulo: Notas à arvore de costado de Luiz de Albuquerque - Vol. II, pg. 334
Titulo: Memoria da familia dos Albuquerques - Vol. II, pg. 349
Titulo: Dos filhos legítimos de Jernonymo de Albuquerque e sua sucessão - Vol. II, pg 354
De João de Albuquerque e sua sucessão - Vol. II, pg. 365
De Affonso de Albuquerque e sua sucessão - Vol. II, pg. 366
De Christovão de Albuquerque e sua sucessão - Vol. II, pg. 368
De Duarte de Albuquerque e sua sucessão - Vol. II, pg. 377
De Felippa de Mello e sua sucessão - Vol. II, pg. 378
Titulo: Dos filhos de Jernonymo de Albuquerque havidos em D. Maria do Espírito Santo Arcoverde- Vol. II, pg. 381
De Manoel de Albuquerque e da sua sucessão - Vol. II, pg. 382
De André de Albuquerque e da sua sucessão - Vol. II, pg. 386
De Catharina de Albuquerque e da sua sucessão - Vol. II, pg. 392
De Antonia de Albuquerque e da sua sucessão - Vol. II, pg 405
De Brites de Albuquerque e da sua sucessão - Vol. II, pg. 421
De Joanna de Albuquerque e da sua sucessão - Vol. II, pg. 424
Titulo: Dos filhos de Jernonymo de Albuquerque havidos em diversas mulheres - Vol. II, pg. 399
De Pedro de Albuquerque e sua sucessão - Vol. II, pg. 400
De Felippe de Albuquerque e sua sucessão - Vol. II, pg. 400
De Salvador de Albuquerque e sua sucessão - Vol. II, pg. 403
De Simoa de Albuquerque e sua sucessão - Vol. II, pg. 403
De Joanna de Albuquerque e da sua sucessão - Vol. II, pg. 424, 426, 454, 455
Titulo: Appendice 2o. - Vol. II, pg. 470

*********************************

Pai com uma mulher branca, não nomeada

Simoa de Albuquerque

Pai com diversas mulheres índias

homé de Albuquerque
Francisco de Albuquerque
Gaspar de Albuquerque
Lopo de Albuquerque
Pedro de Albuquerque
Felippe de Albuquerque de Mello
Antonio de Albuquerque
Salvador de Albuquerque
Jorge de Albuquerque
Joanna de Albuquerque
Felippa de Albuquerque

Fonte: Genealogia de Carmen ARNOSO (carnoso)

Heeft u aanvullingen, correcties of vragen met betrekking tot Lopo de Albuquerque?
De auteur van deze publicatie hoort het graag van u!


Tijdbalk Lopo de Albuquerque

  Deze functionaliteit is alleen beschikbaar voor browsers met Javascript ondersteuning.
Klik op de namen voor meer informatie. Gebruikte symbolen: grootouders grootouders   ouders ouders   broers-zussen broers/zussen   kinderen kinderen

Over de familienaam De Albuquerque


Historische context


  • Graaf Maximiliaan (Oostenrijks Huis) was van 1482 tot 1494 vorst van Nederland (ook wel Graafschap Holland genoemd)
  • In het jaar 1493: Bron: Wikipedia
    • 4 maart » Christoffel Columbus bereikt Lissabon na zijn eerste reis.
    • 15 maart » De Italiaanse ontdekkingsreiziger Christoffel Columbus keert terug naar de haven van de Spaanse gemeente Palos de la Frontera na zijn ontdekking van Amerika.
    • 19 augustus » Maximiliaan I van Oostenrijk wordt keizer van het Heilige Roomse Rijk.
    • 24 september » Christoffel Columbus vertrekt op zijn tweede expeditie naar de 'Nieuwe Wereld'.
    • 19 november » Christoffel Columbus ontdekt Puerto Rico.


Bron: Wikipedia




    

Wilt u bij het overnemen van gegevens uit deze stamboom alstublieft een verwijzing naar de herkomst opnemen:
Carlos Fernando Barreto de Meira Lins, "Genealogy cfmeira", database, Genealogie Online (https://www.genealogieonline.nl/genealogy-maira-lins/I9972.php : benaderd 4 augustus 2021), "Lopo de Albuquerque (1440-1493)".